Jovem aprendiz ou estágio: qual escolher?

Jovem aprendiz ou estágio: descubra qual escolher!

A inserção no mercado de trabalho é um dos maiores desafios dos jovens brasileiros. A falta de conhecimento, a escassez de vagas e a experiência notoriamente exigente dificultam o primeiro emprego e a entrada dos jovens no mercado.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a nova geração de desemprego no país costuma ser duas vezes maior que a da população em geral.

Então, como uma pessoa que acabou de terminar a escola (ou ainda está aprendendo), sem tanto conhecimento e experiência, evita isso e entra no mercado de trabalho? Para a maioria das pessoas, a resposta pode estar em estágios e programas de aprendizagem júnior!

Ambos os programas visam facilitar a entrada dos jovens no mercado, com a vantagem de permitir que continuem seus estudos trabalhando e ganhem a experiência e os conhecimentos necessários para enfrentar o mercado formal.

Claro, isso pode não ser a melhor opção para todos. Para alguns, a melhor opção pode ser ir direto para um emprego formal, principalmente para aqueles que já concluíram os estudos.

Mas qual escolher? No artigo abaixo, explicamos detalhadamente as opções, as vantagens e benefícios de cada uma e o que considerar ao fazer uma escolha segura. Verificação de saída!

Jovem Aprendiz

Estágios e jovens aprendizes muitas vezes se confundem porque têm práticas semelhantes, mas são programas muito diferentes.

O Jovem Aprendiz é um programa criado pelo governo federal para facilitar o ingresso e a qualificação profissional de jovens no mercado de trabalho. Destina-se a jovens dos 14 aos 24 anos, do ensino básico e secundário ou que tenham concluído os seus estudos.

Isso é obrigatório para as empresas e uma ótima oportunidade para quem está em busca do primeiro emprego. Principalmente para quem não quer renunciar os estudos, mas precisa de um emprego.

Direitos

Uma das principais vantagens do estágio jovem em relação ao estágio é que o regime também está sujeito à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), dando aos jovens os mesmos direitos que os profissionais do mercado formal.

Dito isso, quem trabalha como jovem aprendiz também tem carteira assinada, direito a licença, salário de 13 anos, previdência e todos os demais benefícios garantidos pela legislação trabalhista. Além do programa de treinamento técnico fornecido pela empresa contratante!

Remuneração

Como os jovens aprendizes também são regidos pela CLT, os jovens empregados dessa forma têm direito à remuneração baseada no salário-mínimo vigente. O salário total dependerá do número de horas trabalhadas e pode variar de 6 a 8 horas dependendo da situação.

Portanto, os jovens aprendizes geralmente recebem o salário-mínimo. Mas poderia ser ainda maior se a empresa escolher.

Benefícios

Todos os benefícios oferecidos aos colaboradores pela empresa devem valer também para os jovens aprendizes.

Assim, dependendo da organização, além do salário, os jovens podem obter plano de saúde, plano odontológico, transporte e vale alimentação/refeição, vale-cultura e muitas outras vantagens.

Além disso, o maior benefício de trabalhar como jovem aprendiz é a preparação e a formação profissional oferecida.

Após a conclusão do curso, os jovens estão prontos para partir com muito conhecimento e experiência na bagagem para enfrentar o mercado de trabalho e realizar seus sonhos.

Estágio

Enquanto os jovens aprendizes se concentram na formação profissional e no ingresso no mercado de trabalho, os programas de estágio são projetados para ajudar os alunos a aprender e dar-lhes uma exposição direta às carreiras que pretendem seguir.

Para alguns programas técnicos, profissionalizantes e de graduação, os estágios fazem parte do programa e são obrigatórios para a graduação.

Mas, quem pode estagiar? Embora a maioria das vagas de estágio seja para alunos de nível superior, os estágios também estão disponíveis para jovens do ensino médio, técnico ou EJA, desde que tenham 16 anos ou mais.

Direitos

Uma vez que o objetivo do estágio é enriquecer a aprendizagem do aluno e prepará-lo para o exercício profissional, não constitui vínculo empregatício de qualquer natureza. Ou seja, os estagiários não têm acesso à maioria dos direitos trabalhistas garantidos pela CLT.

No entanto, as pessoas contratadas nesse modelo também têm alguns direitos, como folga remunerada, auxílio-transporte e seguro de acidentes pessoais. Além disso, a carga de trabalho é menor, variando de 4 a 6 horas por dia; ou menos dias de teste.

Remuneração

A remuneração da empresa não é obrigatória para os alunos que precisam de um estágio para concluir o programa. No entanto, no caso de estágio não obrigatório, os estudantes têm direito a ajuda de custo e auxílio transporte.

Os valores podem variar de acordo com a empresa e função. No Brasil, a renda média mensal dos universitários é de cerca de R$ 1.095, e dos técnicos é de R$ 750.

No entanto, as bolsas de valores podem atingir valores mais elevados dependendo da empresa, ramo de atividade e país.

Benefícios

Quanto aos benefícios, a empresa contratante não é obrigada a oferecê-los ao estagiário como um jovem aprendiz. Portanto, cabe à organização decidir quais benefícios oferecer e como.

No entanto, o verdadeiro benefício de um programa de estágio está no conhecimento e experiência fornecidos. Afinal, iniciar uma carreira é um processo complicado, e um estágio facilita muito as coisas.

Emprego formal x jovem aprendiz x estágio

Por fim, se você já concluiu seus estudos, há também a possibilidade de procurar diretamente um emprego formal.

Com certeza será um pouco mais difícil conseguir um lugar, mas também há muitas vantagens. Por exemplo, o profissional foi contratado, todos os seus direitos estão garantidos e recebe um salário justo pelas funções que desempenha.

Além disso, em um emprego formal, você também pode adquirir muita experiência e conhecimento para desenvolver sua carreira, sem limite de tempo de recrutamento, tanto nos programas de Jovem Aprendiz quanto no de Estágio de 2 anos.

Qual começar no mercado de trabalho: estágio, jovem aprendiz ou emprego formal?

Escolher entre um estágio, um jovem aprendiz ou um emprego em tempo integral para ingressar no mercado de trabalho dependerá inteiramente de seus objetivos, necessidades e aspirações para o futuro.

Por exemplo, se você está se formando ou se formou no ensino médio e só planeja ir para a universidade mais tarde, um jovem aprendizado pode ser o ideal.

Isso ocorre porque as posições são mais fáceis de obter por meio do esquema e os direitos permanecem os mesmos dos empregos regulares. Para os alunos do ensino fundamental, esta é definitivamente a melhor escolha!

Começar com um emprego formal é um caminho mais complicado por falta de qualificação e experiência, mas também é uma boa opção se você tiver pelo menos o ensino médio completo. Se essa for a sua escolha, encontrar qualificações e se preparar o máximo possível para competir no mercado será decisivo.

Deixe suas dúvidas, sugestões e agradecimentos na aba de comentários aqui embaixo. Seu feedback é de suma importância para o nosso desenvolvimento! O nosso suporte entrará em contato o mais breve possível em caso de dúvidas.
Caso queira disfrutar de mais conteúdos parecidos, acesse o blog do nosso site! Lá você encontrará artigos direcionados a sua empresa e muito mais.

Aviso prévio no home office: saiba como fazer o controle

Aviso prévio no home office: saiba como fazer o controle

Como o nome já diz, o aviso prévio significa que o colaborador foi avisado que será desligado da…

Previdência social: o que é e quais as regras?

Previdência social: o que é e quais as regras?

Previdência social: é um sistema publico o qual garante a aposentadoria dos brasileiros, gerenciado pelo INSS (Instituto Nacional…

Funcionários externos: como fazer o controle?

Funcionários externos: como fazer o controle?

Antes mesmo da popularização do trabalho em home office, o mercado brasileiro já possuía os famosos funcionários externos.…

Todos os direitos reservados – CNPJ 33.375.886/0001-07

Copyright © 2021 Ponto Online Tecnologia

Orçamento